Cardiomiopatias – Conheça os Tipos e Formas de Tratamento

cardiomiopatias

Cardiomiopatias é um termo relacionado a um grupo de condições que afetam a estrutura do coração e reduzem sua capacidade de bombear o sangue pelo corpo. A cardiomiopatia pode afetar qualquer pessoa, em qualquer idade, alterando a forma, o tamanho ou a espessura das paredes musculares do coração.

Saiba Mais sobre as Cardiomiopatias

O papel do coração é bombear o sangue pelo corpo. O sangue contém oxigênio e nutrientes para ajudar as células e órgãos do corpo a trabalhar. Sem esse suprimento, o corpo simplesmente não seria capaz de funcionar.

O coração é a bomba muscular forte no centro do sistema que circula o sangue ao redor do corpo. É composto de células musculares especiais (chamadas miócitos), células musculares diferenciadas, pois trabalham constantemente e nunca precisam descansar.

O coração tem quatro câmaras: duas à direita e duas à esquerda, separadas por uma área de tecido conjuntivo chamada septo. As câmaras superiores são os átrios, que possuem paredes musculares finas e elásticas. As câmaras inferiores são os ventrículos, que possuem paredes musculares mais grossas e fortes.

As duas câmaras do lado direito do coração recebem sangue do corpo e o bombeiam para os pulmões, onde ele capta oxigênio. Os dois à esquerda recebem o sangue dos pulmões, contendo oxigênio, e o bombeiam para o corpo, onde o oxigênio é usado.

Tipos de Cardiomiopatias

Existem diferentes tipos de cardiomiopatia, que variam dependendo de como afetam o músculo cardíaco.

Miocardiopatia Dilatada

É quando o músculo do ventrículo esquerdo se torna aumentado (dilatado) e alongado. Isso torna a parede do ventrículo maior, porém mais fina, e assim o músculo fica mais fraco e menos capaz de bombear sangue para fora do coração. Embora possa afetar qualquer pessoa, é mais comum durante a gestação: a chamada cardiomiopatia periparto.

Cardiomiopatia Hipertrófica

É quando o músculo do ventrículo engrossa (chamado de hipertrofia) e torna o interior do ventrículo menor. O espessamento significa que o coração tem que trabalhar mais para bombear o sangue pelo corpo. Também pode bloquear o fluxo de sangue para fora do coração.

Cardiomiopatia Arrítmica

Também chamada de cardiomiopatia ventricular direita arritmogênica, ocorre quando as células do músculo cardíaco não são unidas adequadamente. Assim, elas morrem e são substituídas por tecido cicatricial ou gordura. Isso faz com que o músculo cardíaco se estique, torne-se mais fino e mais fraco, tornando-o menos capaz de bombear o sangue para fora do coração tão bem quanto deveria.

Miocardiopatia Restritiva

É quando o músculo cardíaco se torna rígido e não consegue relaxar adequadamente, o que dificulta o preenchimento do sangue pelas câmaras superiores. As câmaras ficam então aumentadas e o sangue não pode fluir adequadamente.

Não Compactação do Ventrículo Esquerdo

É quando existe um problema com a forma como o músculo cardíaco se desenvolve no feto. As células musculares não se compactam como deveriam, o que causa pequenas reentrâncias no músculo, que se parece esponjoso. Isso afeta como o coração funciona.

Síndrome do “Coração Partido”

Isso geralmente acontece durante um período de estresse extremo (que lhe dá o nome de “coração partido”). O ventrículo esquerdo fica aumentado e enfraquecido. Muitas vezes, é apenas temporário e geralmente melhora com o tempo.

Sintomas das Cardiomiopatias

A função do coração é bombear o sangue pelo corpo, transportando oxigênio e nutrientes para “alimentar” as células e os órgãos. Portanto, quando o coração não funciona adequadamente ou com a mesma eficiência, as células e os órgãos não recebem oxigênio e nutrientes suficientes.

Embora muitas pessoas tenham cardiomiopatia sem apresentar nenhum sintoma, outras pessoas podem apresentar sintomas como: cansaço (devido aos baixos níveis de oxigênio), falta de ar (devido ao fluido nos pulmões), inchaço no abdômen e tornozelos, palpitações, dor no peito e
tontura ou desmaio.

Tratamento das Cardiomiopatias

Embora não possa ser curada, existem opções de tratamento que visam reduzir e controlar os sintomas.

Algumas pessoas tomam medicamentos para controlar sua frequência cardíaca ( betabloqueadores), para reduzir a possibilidade de formação de coágulos sanguíneos ( anticoagulantes) ou para reduzir o acúmulo de líquido no corpo que causa inchaço ( diuréticos).

Pode ser recomendado realizar um procedimento cirúrgico para implante de um dispositivo para controlar o ritmo do coração (chamado marcapasso), ou estimular o coração se ele sair do ritmo normal (chamados desfibriladores cardioversores implantáveis). Um número muito pequeno de pessoas pode precisar de um transplante de coração.

É natural ter muitas dúvidas ao ser diagnosticado com uma cardiomiopatia. Embora a condição possa parecer devastadora, com informação e apoio do seu médico cardiologista de confiança, a maioria das pessoas pode ter uma vida plena e ativa.

Compartilhe
Categories : Saúde Cardíaca

Todos os utilizadores da plataforma se comprometem a divulgar apenas informações verdadeiras. Caso o comentário não trate de uma experiência pessoal, forneça referências(links) sobre qualquer informação médica à ser publicada. O público pode realizar comentários, alterar ou apagar o mesmo. Os comentários são visíveis a todos.